Destaque de julho – 2015

    1
    285

    Entrevista para a Revista SketchUp Brasil – 02 – Clique aqui para ver a revista completa!

    Render de estudo para testar o carro.

    Autor: Maurício Camargo

    Softwares Utilizados: SketchUp, Kerkythea e Photoshop.

    Tópico: BMW-Z4 Mauricio Camargo

    Em julho de 2015, o Maurício Camargo postou em nosso fórum esta linda imagem. Segundo ele, foi um estudo para testar o carro em destaque na imagem, que faz parte de uma biblioteca de blocos do 3ds Max, da qual os direitos de comercialização foram aquiquiridos por ele, e que estava importando para o Kerkythea para disponibilizar para os usuários deste programa, mostrando com isso, mais uma vez, o porque é considerado o nome mais importante no Brasil quando se fala em Kerkythea.

    BMW Z4

    Por que você utiliza o SketchUp em seus trabalhos?

    Porque é um programa que atende às minhas necessidades e às dos meus clientes com qualidade, sem contar que eu amo trabalhar com o SketchUp, foi, e é, o programa mais importante da minha vida profissional.

    O que te levou a escolher o Kerkythea como renderizador para seus projetos?

    Resposta: Eu comecei em 2006 trabalhando apenas com SketchUp e já fazia trabalhos em 3D para escritórios de Arquitetura e Engenharia apenas usando o SketchUp. Em 2007 quis dar mais realismo aos meus trabalhos e estudei, na época, os renderizadores que estavam iniciando no mercado brasileiro, que eram: V-Ray, Kerkythea, Podium e Artlantis. Os 4 são excelentes programas, mas me identifiquei mais com o Kerkythea, porque nele eu sinto o mesmo prazer em trabalhar de forma prática ao qual eu sinto quando trabalho com o SketchUp.

    Há quanto tempo você trabalha com o SketchUp e Kerkythea, e depois de quanto tempo começou a lecionar?

    Resposta: Eu sempre tive duas paixões na minha vida, que eram o Desenho e a Matemática. Antes de mergulhar no mundo do 3D eu dava aulas de matemática, o que me deu experiência didática, mas quando encontrei o Sketchup, em 2006, foi uma paixão avassaladora, pois os desenhos que eu fazia à mão agora poderiam ser passados para o computador e foi aí então que mergulhei de cabeça no mundo do 3D.

    Em 2007, quando meus trabalhos começaram a se destacar, comecei a pegar bons clientes, o que me possibilitou a adquirir um bom equipamento e evoluir muito, logo meu nome ficou conhecido e solicitado para dar aulas presenciais em institutos de arquitetura e em empresas aqui no Rio de Janeiro.

    Eu era muito presente também na internet, mais especificamente no Orkut e aqui no fórum SketchUp Brasil, e as pessoas pediam pra que eu fizesse um Curso à Distância. Em 2010 lancei o curso em DVD que teve um sucesso muito maior do que eu esperava e assim o trabalho na área educativa foi se solidificando. E hoje, com toda avalanche de carinho e confiança que recebo dos meus alunos, não me vejo fazendo outra coisa. Confesso que é muito cansativo e trabalhoso atuar na área, produzindo conteúdo e administrando uma estrutura para levar tudo com qualidade ao aluno, mesmo que trabalhando em equipe, mas é o que amo fazer e faço com muito amor.

    O que você buscava quando trouxe esses componentes de alta qualidade para os usuários de Kerkythea?

    O objetivo sempre foi aumentar a qualidade dos trabalhos de forma prática. O grande diferencial de se ter blocos de qualidade dentro do Kerkythea, é o suporte que este trás para uma quantidade muito maior de geometria em relação ao SketchUp. E ter esses blocos abrindo diretamente no Kerkythea dá a possibilidade de inserirmos blocos de geometria altíssima e ainda assim renderizar com leveza, pois são blocos que também podem ser convertidos em proxy.

    Quais foram as edições que tiveram que ser feitas no Kerkythea para que este componente atingisse todo o potencial que tinha no 3Ds Max?

    A modelagem do carro veio toda pronta e no Kerkythea eu apliquei os materiais de metais, pintura automotiva, vidros, entre outros.

    Para resultar em bons reflexos, iluminação, sombras, entre outros, o ambiente teve que ser totalmente modelado?

    Reflexo é a  própria projeção do ambiente na superfície do material, então pra ter reflexos reais o ambiente precisa estar totalmente modelado para que a projeção seja também real, sendo assim este ambiente estava modelado com todas as suas paredes, portas, janelas e demais elementos.

    Quais foram os principais detalhes e passos que você deu atenção para produzir uma imagem que valorizasse ao máximo o foco da cena?

    A atenção maior foi dada na iluminação, à qual fiz questão que fosse natural, apenas com a luz do sol e HDRI e no enquadramento que valorizasse as curvas do carro.

    Em sua opinião, quais as principais áreas de conhecimento que um profissional da área deve dominar para se destacar no mercado?

    Hoje, praticamente todas as áreas usam 3D, então o mais importante é o profissional dominar os conceitos de sua área, depois dominar as ferramentas as quais ele vai usar para trabalhar naquela área e acho fundamental a pessoa ter um espírito empreendedor de estar sempre investindo em bons equipamentos e oferecendo sempre um serviço de qualidade aos seus clientes, e quando falo serviço de qualidade não é só o produto final, mas é dar um bom atendimento, pré e pós fechamento do serviço, ser honesto, pontual nos prazos e procurar sempre surpreender seus clientes de forma positiva.

    Sabemos que o acesso ao conhecimento está cada dia mais fácil e muitas vezes de forma gratuita, como grandes exemplos disso temos o YouTube e o próprio SketchUp Brasil, com isso, como você vê a importância dos cursos neste cenário?

    Eu acho muito importante o acesso gratuito às informações para que as pessoas tenham oportunidade de conhecer o programa, o professor, entre outros, mas um serviço de qualidade que inclua um suporte diário, um acompanhamento ao aluno e toda uma estrutura online de qualidade não tem como ser gratuita porque possui gastos e todos temos que pagar nossas contas. Portanto, o conhecimento gratuito só consegue ir até um certo ponto, pois para gerar dinheiro no YouTube precisa ter milhões de visualizações e quem trabalha com determinados nichos como o 3D e arquitetura, vai ganhar uma miséria, para ser mais exato, uns 300 reais a cada 5 meses e isso vai obrigar o profissional a trabalhar com outras coisas e não dar prioridade aos seus alunos e é por isso que a gente vê um monte de pessoas aparecendo com cursos gratuitos para ganhar likes e agradecimentos ou até mesmo capturar emails e depois sumindo do mercado, porque o gratuito não tem como se sustentar quando se faz necessário dar um suporte de qualidade.

    Que importância atribui à inserção dos destaques do fórum na revista SketchUp Brasil?

    Acho muito bacana essa iniciativa e esse espaço, pois os leitores têm a oportunidade de nos conhecer um pouco melhor.

    Gostaria de acrescentar mais alguma informação relevante sobre o referido trabalho?

    É um trabalho que gostei muito do resultado, o feedback que recebi também foi muito gratificante e mostra um pouco que independente da ferramenta que você utiliza, se você a dominar, se dedicar e amar o que faz, você sempre vai encantar e surpreender seu público e seus clientes. Eu sempre procuro surpreender a cada trabalho e acho que com essa imagem eu consegui atingir meu objetivo, tendo como base os comentários e todas as mensagens que recebi.

      Para finalizar, quero agradecer ao Daniel e à toda equipe do Sketchup Brasil que tem um papel importantíssimo junto à comunidade 3D e teve um papel importantíssimo na minha vida, pois aprendi muito no fórum quando iniciei meus trabalhos, depois fui adquirindo experiência, ajudando as pessoas aqui e continuo aprendendo muito neste até hoje.

    Grande Abraço.

    Entrevista para a Revista SketchUp Brasil – 02 – Clique aqui para ver a revista completa!